Psicologia Positiva

Dinheiro não traz felicidade? Existem profissões que geram mais felicidade do que outras? É possível ser feliz sozinho? As crianças são mais felizes do que os adultos? Alegria, satisfação, prazer e felicidade são a mesma coisa? A felicidade é a ausência da tristeza? Ter saúde é fundamental para a felicidade? Já nascemos felizes ou infelizes? Éramos felizes e não sabíamos? Existem lugares que favorecem a felicidade? Homens e mulheres experienciam a felicidade da mesma forma? Quem pensa mais é menos feliz? O que o cérebro tem a ver com a felicidade?…

…Afinal, o que é a felicidade e o que nos torna mais felizes?

São respostas a perguntas como essas que a Psicologia Positiva vem buscando desde o início da década de 1980. Apesar da Psicologia Positiva ter se consolidado como campo de pesquisa e atuação profissional há bem pouco tempo, o estudo da Felicidade é muito anterior a ela.

Desde a Antigüidade Clássica a Felicidade tem sido tema de debates e reflexões filosóficas e religiosas. Da mesma forma, nomes fundamentais da Psicologia – Abraham Maslow, Carl Rogers, Carl Jung, Albert Bandura, Gordon Allport e outros – se dedicaram a investigação das emoções positivas. Portanto, a grande contribuição da Psicologia Positiva não é ter inventado o estudo da Felicidade, mas tê-lo desenvolvido em bases científicas.

Para incluir a pesquisa da felicidade no campo das ciências, a Psicologia Positiva utiliza-se tanto de métodos tradicionais da investigação psicológica quanto do que há de mais avançado no campo das neurociências para o estudo das emoções e do comportamento humano. É dessa forma que a Psicologia Positiva opta pelo caminho da investigação empírica, respeitando os rigores da metodologia científica e baseando suas análises em dados concretos.

A Psicologia Positiva é, portanto, o estudo cientìfico das potencialidades e das virtudes que habilitam os indivíduos, os grupos e as sociedades a viverem de maneira saudável. Constitui-se como um ramo da ciência psicológica baseado na crença de que é possível identificar, compreender, desenvolver, promover e cultivar os mecanismos necessários para viver-se de maneira significativa e satisfatória.

Ao contrário do que muitos possam pensar à primeira vista, Psicologia Positiva não é a mesma coisa que pensamento positivo! Os resultados obtidos pela Psicologia Positiva confirmam a idéia de que os pensamentos “negativos” ou “realistas” também exercem papel essencial na construção de uma vida saudável. É essa visão abrangente e integradora da psicologia Positiva que estabelece a diferença entre ela e formas genéricas de apologia do termo “positivo” em campos como a auto-ajuda, por exemplo. Diferentemente dos apologistas da “smiley face”, os psicólogos positivos distingüem a importância do conhecimento de assuntos sombrios e espinhosos como a depressão e a miséria para o entendimento da felicidade. E, ainda, é em função de sua objetividade científica que a Psicologia Positiva não deve ser confundida como a fonte de uma receita para a felicidade.

Se entre os principais objetivos da Psicologia Positiva está o conhecimento daquilo que vivenciamos como felicidade é porque, em última instância, isso favorece as condições necessárias para que as pessoas possam viver uma vida plena a partir de suas próprias escolhas. Para escolher é preciso conhecer as possibilidades, e a Psicologia Positiva tem realizado muitas descobertas sobre o que é possível em termos de felicidade. Algumas descobertas se aproximam da sabedoria do senso comum, outras dos ensinamentos filosóficos, algumas das tradições religiosas, mas muitas têm revelado o quão pouco sabíamos sobre o que tanto desejamos: a Felicidade!

Imagem: “Luminosa” por Kouji Tomihisa, em 1x.com

About these ads

10 comentários sobre “Psicologia Positiva

  1. Olá Angelita!

    Eu e minha esposa, Ana, temos pesquisado bastante a respeito da Felicidade e nos identificamos muito com a abordagem dada pela psicologia positiva (não somos psicólogos, eu sou engenheiro e a Ana, professora)

    no seu texto você diz:

    “A Psicologia Positiva é, portanto, o estudo cientìfico das potencialidades e das virtudes que habilitam os indivíduos, os grupos e as sociedades a viverem de maneira saudável”

    Para variar, nós não encontramos muitos textos em português sobre essas virtudes, as chamadas 24 forças, que os pesquisadores definiram para conquistar a Felicidade.

    Mas encontramos muitos textos em inglês. Então resolvemos traduzir para o português. Se puder postar futuramente no seu blog seria interessante.

    Achamos que cada uma delas mereceria um post separado, com dicas, exemplos e até mesmo dinâmicas para nos aprimorarmos cada vez mais. Que tal a sugestão?

    Espero que tenhamos contribuido de alguma forma…

    1) Auto controle e auto regulação

    Você conscientemente controla o que sente e faz. Você é uma pessoa disciplinada e tem controle sobre seus apetites e suas emoções, não o contrário.

    2) Entusiasmo e energia

    Indiferentemente do que você faça, sua abordagem é com excitaçao e energia. Você nunca faz algo pela metade ou com desinteresse. Para você a vida é uma aventura.

    3) Modéstia e Humildade

    Você não segue o holofote, preferindo deixar suas conquistas falarem por você. Você nào se considera especial e os outros reconhecem o valor de sua modéstia.

    4) Bravura e valor

    Você é uma pessoa corajosa que não se encolhe diante da ameaça, desafio, dificuldade ou dor. Você defende aquilo que é certo até mesmo se existir oposição . Você age de acordo com as suas convicções.

    5) Liderança

    Você se supera nas tarefas de liderança; encorajar um grupo a ter as coisas feitas e preservar a harmonia dentro do grupo, fazendo todos se sentirem incluidos. Você faz um um bom trabalho planejando e organizando as coisas e vendo como elas acontecem.

    6) Apreciação da beleza e da excelência

    Você nota e aprecia a beleza, excelência e boa atuação em todos os domínios da vida, da natureza à arte, à matemática, à ciência, à experiência do dia a dia.

    7) Gratidão

    Você tem consciência que coisas boas acontecem com você, e que elas não acontecem porque é direito seu. Seus amigos e familia sabem que você é uma pessoa agradecida porque você sempre toma um tempo para dizer obrigado.

    8) Esperança, otimismo e pensamento no futuro

    Você espera o melhor do futuro e trabalha para alcançá-lo. Você acredita que o futuro é algo que possa controlar.

    9) Perspicácia

    Apesar de nâo se considerar inteligente , os seus amigos tem essa visão de você. Eles valorizam sua perspicácia nos problemas e procuram você para pedir conselhos. Você tem uma maneira de ver o mundo que faz sentido para os outros e para você.

    10) Criatividade, genialidade e originalidade

    Pensar em novos modos de fazer as coisas é uma parte crucial de quem voce é. Você nunca se contenta em fazer algo de um modo convencional se um jeito melhor for possivel.

    11) Perdão e misericórdia

    Você perdoa aqueles que lhe fizerão coisas erradas. Você sempre dá as pessoas uma segunda chance. O seu pricipio guia é a misericórdia e não a vingança.

    12) Justiça e igualdade

    Tratar todas as pessoas de modo justo é um dos seus princípios primordiais. Você não deixa os seus sentimentos pessoais polarizarem suas decisões sobre as outras pessoas. Você dá oportunidades a todos.

    13) Determinaçao, diligenciamento e perseverança

    Você trabalha duro para terminar o que começou, não importa o que seja, você tira do forno em tempo. Você nao se distrai no trabalho e fica satisfeito quando completa as tarefas.

    14) Cuidado, prudência e discrição

    Você é uma pessoa cuidadosa e suas escolhas são tomadas com prudência. Você não diz coisas que pode se arrepender depois.

    15) Humor e Brincadeiras

    Você gosta de rir e zoar. Trazer sorrisos a outras pessoas é importante para você. Você tenta ver o lado leve de todas as situações.

    16) Capacidade de amar e ser amado

    Você valoriza relações intimas com os outros, em particular com aqueles com quem compartilhamento e carinho são reciprocos. As pessoas com as quais você se sente mais proximo são as mesmas que se sentem mais próximas de você.

    17) Juizo, pensamento critico e mente aberta

    Pensar profundamente nas coisas e examiná-las de todos os ângulos possíveis são importantes aspectos de quem você é. Você nao vai direto para conclusões e confia somente em evidências concretas para tomar decisões. Você é capaz de mudar de opinião.

    18) Curiosidade e interesse no mundo

    Você é curioso sobre tudo. Está sempre fazendo perguntas e acha todos os assuntos fascinantes. Você gosta de explorar e descobrir.

    19) Bondade e generosidade

    Você é bondoso e generoso com os outros e nunca está muito ocupado para fazer um favor. Você curte fazer boas ações aos outros mesmo se não os conhecer direito.

    20) Cidadania, trabalho em equipe e lealdade

    Você se destaca como membro de um grupo. Você é um colega leal e dedicado, sempre faz a sua parte e trabalha duro para o sucesso do seu grupo.

    21) Amor pelo conhecimento

    Você ama conhecer novas coisas, seja em aula ou por si só. Você sempre amou a escola, a leitura e museus, todo e qualquer lugar em que você tenha oportunidade de aprender.

    22) Honestidade e autenticidade

    Você é uma pessoa honesta, não apenas por falar a verdade, mas porque vive sua vida de uma maneira genuina. Você é autêntico, sem fingimentos. Você é uma pessoa “verdadeira”.

    23) Inteligência social

    Você é consciente dos motivos e sentimentos das outras pessoas. Você sabe o que deve ser feito e como se adaptar em diferentes situações sociais. Você sabe como levar os outros a ter uma postura mais favorável.

    24) Espiritualidade, senso de propósito e fé

    Você tem crenças fortes e coerentes sobre um propósito maior e o sentido do universo. Você sabe onde você se encaixa no esquema maior. Suas crenças modelam suas ações e são a fonte de conforto para você.

    obs: traduzido do resultado do resultado do teste VIA Signature Strengths do site http://www.authentichappiness.sas.upenn.edu

  2. Olá Erico,

    agradeço, de coração, o interesse e a sugestão, ela veio ao encontro dos meus propósitos.

    Olha só que interessante: há um tempo venho pensando nisso, em falar das 24 forças, e em abordar
    algumas sugestões práticas para a construção/vivência de sentimentos positivos. Portanto, adorei o fato de receber sua sugestão/contribuição, em especial porque ela une as duas coisas nas quais eu andava pensando! Me alegra saber que vocês – você e sua esposa – andaram pensando o que também pensei…Rs! Essa “coincidência” de fenômenos psicológicos se encaixa na Teoria da Sincronicidade de Carl Jung, sistematizada no trabalho “Sincronicidade: um princípio de conexões acausais” publicado em 1952 junto com um artigo do físico Wolfgang Pauli.

    A idéia de Sincronicidade, defendida por Jung, fala dessas “coincidências”, desse fenômeno recorrente de pensamentos/eventos, geograficamente distantes, ocorrerem simultâneamente. As primeiras idéias a respeito do conceito de Sincronicidade surgiram com o estudo feito por Jung da filosofia oriental, principalmente do I Ching. Muito antes, na sua prática clínica como terapeuta, Jung havia observado fenômenos reais que não se enquadravam na visão ocidental causalista. Por exemplo, ao estudar os sonhos, Jung notou que os motivos oníricos tendem a coincidir relativamente com situações reais, com um significado semelhante ou mesmo com situações reais idênticas. Ele só se expressou oficialmente a respeito deste tema no final dos anos 20 falando a respeito do princípio científico chinês, que é baseado numa idéia totalmente diferente de nossa hipótese da causalidade e que é particularmente importante em conexão com o I Ching. A filosofia oriental, com seu pensamento não-linear, comprovou-lhe que o acaso e a coincidência podem ser levados em consideração e que a causalidade é meramente uma hipótese, não uma verdade absoluta.

    Com o passar do tempo, porém,a partir de algumas conversas que ele teve com Eistein, Jung sentiu a necessidade de buscar uma base teórica dentro da física moderna para o princípio. Esse contato, com as recentes proposições teóricas da física moderna, criou em Jung a necessidade de ampliar o conceito de sincronicidade para uma idéia mais abrangente: a das “ordenações não causais”. Mais especificamente, o envolvimento de Jung com a fisica moderna se deu a partir de uma relação muito próxima com o físico alemão Wolfgang Pauli. Em 1930, Pauli, que estava sofrendo com problemas emocionais em decorrência do luto e de um casamento desfeito, procura Jung para fazer um acompanhamento terapêutico. Jung não trata Pauli, mas o encaminha para uma jovem analista. Porque Jung faz isso? Na visão dele, uma mulher seria melhor para ajudar Pauli a vencer as dificuldades que ele tinha na suas relações com as mulheres e com o sentimento. Além disso, Jung acreditava que Pauli era uma personalidade excepcional, alguém com um material inconsciente rico e incomum. Nesse caso, uma terapeuta principiante não teria conhecimento aprofundado o suficiente para interferir, ou influenciar, no material que Pauli trazia.

    Assim, Jung e Pauli passam a se corresponder com freqüência. Pauli apoiou o princípio da sincronicidade como sendo científico. O Princípio de Exclusão, pelo qual Pauli recebeu o Prêmio Nobel, implicava a descoberta de um padrão abstrato que se oculta debaixo da superfície da matéria e que determina seu comportamento de modo “acausal”. Jung auxiliou Pauli na sua compreensão dos fatores coletivos e arquetípicos da psique. A partir dessa confluência de interesses e idéias desenvolve-se uma longa colaboração entre os dois cientistas. Esse trabalho conjunto dará origem ao trabalho “The Interpretation of Nature and the Psyche” com dois textos: um escrito por Pauli “The Influence of Archetypal Ideas on the Scientific Thoughts of Kepler“, e outro por Jung “Sincronicidade: Um Princípio de Conexões Acausais“.

    A colaboração com Pauli permitiu a Jung dar ao conceito de sincronicidade e suas aplicações posteriores um melhor embasamento científico. Dessa forma, o conceito de sincronicidade e a conceituação de uma “ordenação acausal geral” passou a ter implicações na física moderna. O físico Charles R. Card, por exemplo, alega que a colaboração Jung/Pauli tem implicações que podem ser vistas como relevantes a algumas das maiores preocupações das bases da física moderna, em particular no tratamento de fenômenos não-locais na mecânica quântica e em fenômenos ‘caóticos’ na dinâmica não-linear.

    Wow! Escrevi um tanto!
    Mas é isso, mais uma vez agradeço a sugestão e, pode apostar, a colocarei em prática na medida possível do meu tempo corrido.

  3. bom dia Angelita!

    Obrigado por ter aceitado a nossa sugestão. Esperamos ansiosamente os post sobre as forças!

    Também gostamos bastante sobre sua resposta, que abordou a sincronicidade. Jung é o máximo!

    Não somos cientistas renomados, mas acreditamos que seja possível contribuir para o seu trabalho com algumas idéias, tal como fez Pauli ao Jung. E você nos contribui ao nos ajudar a sermos mais felizes.

    obrigado

    Erico e Ana

  4. Boa Noite Angelita!!

    Muito gratificante ler o seu artigo, sou estudante de Psicologia e acredito que o entendimento acerca da Psicologia Positiva é de fundamental importância para nós, futuros profissionais. Parabéns pelo seu trabalho e obrigada!!!

  5. Adorei o site, muito esclarecedor e nos passa uma simpatia muito grande, obg pela contribuição sua e do casal Erico e Ana, super interessados no assunto e me ajudaram muito no trabalho da faculdade sobre Psicologia Positiva, postando as 24 virtudes.Um gde abraço e mto obg Priscila

  6. Olá Priscila, legal que você tenha encontrado aqui uma ajuda para o seu trabalho. Na verdade os meus textos sobre as 24 Forças estão muito atrasados. Com o tempo, farei o possível para concluir toda a lista. Seja smepre bem-vinda!

  7. Olá?
    Como faço para fazer o teste pra saber quais as forças predominantes em mim?

    Obrigada e um bom dia!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s