Qual é a medida do prazer?

Por Náira Malze

Revista.AG (A Gazeta/ES) – 27/04/2008

Pênis Grande Só Melhora Prazer de Gays

Esse título pode surpreender – e até chocar – muitos machos que buscam provar a masculinidade justamente pelo órgão sexual. Mas, fisiologicamente, é a única explicação para a crença de que “tamanho determina o prazer”.

Como descreve a psicóloga clínica, mestre em desenvolvimento adulto e felicidade pela USP, Angelita Scardua: na anatomia masculina, há uma proximidade entre o ânus e a próstata, separados apenas pelo períneo. A próstata é responsável por grandes níveis de prazer. Tanto é que se estimulada leva à ejaculação e ao orgasmo. Considerando que ela é a parte mais sensibilizada durante o sexo anal – teria mais sentido dizer que o tamanho do pênis tem uma dose extra de significado na relações homossexuais já que, durante a penetração, quanto maior o pênis, mais estimulada seria a próstata e maior seria a onda de prazer.

“As sensações prazerosas, associadas ao contato do pênis com a próstata, levariam aquele que é penetrado a desejar estender esse prazer por toda a extensão do reto alcançada pelo pênis. Isso criaria uma associação psicológica (e um condicionamento fisiológico) entre o tamanho do pênis e a quantidade de prazer durante a penetração”, detalha a psicóloga, também pós-graduada em neurociências.

Prazer feminino

Já a mulher não tem, do ponto de vista estritamente fisiológico, uma vagina preparada para receber um pênis grande, embora haja uma dilatação no canal vaginal quando ela fica excitada.

E mesmo durante o sexo anal – apesar do ânus feminino possuir tantas terminações nervosas quanto o masculino – os homens têm a sensibilidade nervosa aumentada devido à proximidade do ânus com a próstata, o que não ocorre com as mulheres, cujo clitóris, fonte principal do prazer feminino, se encontra bem mais distante.

Entenda a fascinação pelo órgão

O homem encara o tamanho do pênis como determinante para se sentir “macho” ou não. Essa fixação começa na infância, quando mamães e titias fazem brincadeiras com o “luluzinho” dos pimpolhos, explica a psicóloga Angelita Scárdua. Isso cria a percepção de que o pênis não é só parte da anatomia, mas algo a ser celebrado. Mais tarde, ele se dá conta de que, ao ficar ereto, o órgão aumenta e ainda dá prazer. Somando tudo, a equação masculina é: ter um pênis é uma vantagem. Um pênis aumentado é mais prazer sexual.

“Além disso, trazemos uma herança biológica e cultural: desde os tempos primitivos, o tamanho do pênis era ligado à capacidade de gerar filhos, um símbolo de poder, já que a potência era associada à capacidade reprodutiva. Essa herança é, ainda hoje, alimentada e reforçada no imaginário coletivo pela produção cultural. Um exemplo são os filmes pornôs e seus atores com comprimentos avantajados. Juntando à grande cobrança social por performance e potência, o homem passou a associar tamanho a prazer. E se não tem um pênis grande, fica inseguro.”

O tamanho médio do pênis do brasileiro

No Brasil, o comprimento do pênis varia de 12cm a 16cm, média suficiente para agradar à parceira, já que as terminações nervosas ficam do lado externo da vagina ou no início da parte interna.

Sobre a fisiologia feminina

Apesar da média de comprimento do canal vaginal feminino ser de 13 cm, é o primeiro terço do canal, isto é, cerca de 04 ou 05 cm, que apresenta grande sensibilidade nervosa. No mais, diversas pesquisas científicas têm demonstrado que, em termos de resposta fisiológica,  na hora da relação, a maioria das mulheres preferem um pênis com maior circunferência  (mais grosso ), do que um pênis com maior comprimento. A explicação para tal fato é que os receptores sensoriais concentram-se ao redor do canal vaginal, de modo que um pênis mais grosso tende a proporcionar maior fricção e atrito, logo, maior estimulação desses receptores, o que, obviamente, gera maior prazer para a parceira.

Imagem: “Hummm… Esta parece grande demais para mim” (detalhe) por Fabien BRAVIN, em 1x.com

About these ads

2 comentários sobre “Qual é a medida do prazer?

  1. Gostaria de saber se o sexo anal tem o poder de estimular algum nervo feminino e trazer algum ‘tipo de beneficio’ ao corpo. Ouvi um comentario que o sexo anal estimularia algum tipo de ‘hormonio ou ….’ que traria beneficios ao corpo feminino

  2. Olá Sandra,
    vejamos…do ponto de vista estritamente fisiológico não há nenhum benefício específico para o corpo feminino assciado ao sexo anal. Qualquer tipo de atividade sexual prazerosa, incluíndo a masturbação, oferece ganhos fisiológicos, dentre os quais a liberação de vários neurotransmissores (hormônios) associados ao prazer e ao bem-estar físico e emocional.

    Por exemplo: a ocitocina, um hormônio associado ao sentimento de proximidade/intimidade, liberado nas situações em que nos sentimos vinculados a alguém, faz parte das várias substâncias que percorrem o nosso corpo durante a prática sexual – da excitação ao orgasmo. Além da ocitocina, também a serotonina, que é associada aos estados de ânimo. Baixa concentração de serotonina associa-se a estados depressivos, e o sexo ajuda a aumentar os níveis desses hormôno. A endorfina, um outro hormônio associado ao sexo, associa-se à sensação de prazer. Quando nos aproximamos do orgasmo o nível das endorfinas chega ao seu ponto mais alto.

    Assim, Sandra, se uma determinada prática sexual for prazerosa para a pessoa sempre haverá benefícios. A questão do sexo anal é que a fisiologia feminina, a princípio, não oferece recursos para desfrutá-lo prazerosamente. A ocitocina, por exemplo, que citei antes, atua não apenas na sensação de vínculo como contribui também para a contração das paredes do útero, iniciando uma espécie de sucção ao longo do canal vaginal que ajuda o sêmen a chegar ao seu destino. Logo, a natureza não se preocupou em dotar a anatomia anal feminina de recursos para o prazer sexual como fez em relação à fisiologia da vagina e do útero. É importante pensar que biologicamente falando a função primária do sexo é a transmissão de genes, a perpetuação da espécie. Talvez por isso a natureza tenha se concentrado em criar condições de prazer que ofereçam maiores chances de reprodução. E o sexo anal não se inclui nessa categoria.

    A sexualidade humana, contudo, é muito mais complexa do que a equação sexo=reprodução. Até mesmo na natureza, entre outras espécies animais, encontramos a prática sexual entre parceiros do mesmo sexo, ou seja, sem fins reprodutivos. Podemos pensar, então, que a natureza também programou o sexo como instrumento para outras coisas que não só a reprodução, tais como: criar vínculos, diversão, dominação, etc. Em especial quando falamos da sexualidade humana há de se pensar que muito do que consideramos atraente, desejável e prazeroso em termos de sexo é influenciado pela época e pela cultura em que vivemos.

    Assim, se você quer saber se uma mulher pode obter prazer com o sexo anal a resposta é sim! Mas não há uma explicação fisiológica para isso, a explicação pode ser psicológica. Grande parte da nossa satisfação sexual se dá na mente. Melhor dizendo, a vivência sexual que se adequa melhor às nossas necessidades afetivas contribui muito para que obtenhamos prazer no sexo.

    O que quero dizer é: se uma mulher acredita que o sexo anal pode propiciar prazer é possível que ela realmente encontre satisfação física nesse tipo de sexo. Mas, psicologicamente falando, essa crença precisa ser autêntica, precisa estar sedimentada num nível inconsciente. Não basta uma mulher querer parecer moderna, liberal, fogosa, etc., e apenas reproduzir um discurso que ela pensa ser “legal”, do tipo – “sou louca por sexo anal!”. Porque se essa preferência não for verdadeira, o emocional (o inconsciente) não terá força suficiente para minimizar os efeitos sentidos pelo corpo físico. E o corpo feminino, visto apenas pelo aspecto físico, não se beneficia do sexo anal da mesma forma que o masculino.

    A fantasia é um elemento poderoso na prática sexual, ela pode transformar dor em prazer, humilhação em satisfação, dominação em gozo…mas a fantasia tem que ser real para aquele que embarca nela. Uma mulher que se aventura no sexo anal apenas para agradar a alguém ou para parecer liberal pode não encontrar o prazer que gostaria de sentir. Se conhecer, saber o que realmente é importante para você, descobrir o que você gosta é a parte mais importante na busca do prazer, seja sexual ou de qualquer outra ordem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s