Diferenças Individuais

Sabe aquela pessoa com quem você trabalha, que quando te encontra em outro lugar qualquer, que não seja o do trabalho, te trata com frieza? Talvez você seja essa pessoa! Provavelmente muitos se referem a esse tipo como “tendo um rei na barriga“, um “nariz empinado“, e outras denominações menos favoráveis. Por outro lado, existem aquelas pessoas que falam com todo mundo, abrem um sorriso e param para conversar onde quer que encontrem um conhecido, e sempre têm um programa de fim de semana para o qual vivem a nos convidar.

Algumas pessoas dirão que o primeiro tipo é um tímido ou um antipático e que o segundo tipo é um simpático ou um ‘cara de pau‘! Em parte tais definições estão certas, mas só em parte. Psicologicamente falando, essas duas formas de agir apontam para duas das principais características que definem as diferenças com que os indivíduos se relacionam com o mundo exterior, são elas:

Introversão e Extroversão

Introversão e Extroversão são dois conceitos psicológicos relacionados a dois diferentes tipos de personalidade. O principal responsável pela elaboração desses conceitos foi o psiquiatra suiço Carl Gustav Jung, em sua Teoria dos Tipos Psicológicos. A princípio podemos dizer que a diferença básica entre esses dois tipos psicológicos se relaciona à maneira pela qual um indivíduo prefere perceber, elaborar e vivenciar as experiências de interação social no dia a dia.

Pode-se dizer que não é muito difícil reconhecer as diferenças entre Introvertidos e Extrovertidos. Por exemplo: Introvertidos constroem relações em ‘profundidade’ e Extrovertidos em ‘extensão’. Como assim? Sabe aquela pessoa que você conhece que tem uma agenda repleta de nomes, conhecidos da academia, do cursinho – e ele ou ela já se graduou há uns dez anos!! – do trabalho, do bar, etc. E mais, chama a todos de amigo? Pois é, esse é um Extrovertido.

Mas, sabe aquele sujeito que tem 5 nomes na agenda que contabilizam as relações de uma vida às quais ele definiria como amizade? Pois é, esse é o Introvertido. Não importa se ele se relaciona com uma centena de pessoas no trabalho, ele tem uma agenda separada para os cinco amigos. Basicamente o Extrovertido precisa e prefere a companhia constante de outras pessoas, é assim que ele se sente ‘energizado’, em contato com o mundo externo. Ao passo que o Introvertido tira sua energia do mundo interno. Portanto, excesso de gente a sua volta representa desgaste, tanto físico quanto emocional e cognitivo.

O fato do Introvertido preferir a reflexão, a solidão ou a companhia de poucos não significa que ele é tímido, de forma alguma. Existem Extrovertidos tímidos e Introvertidos que não o são. A diferença básica entre os dois tipos é a preferência por uma ou outra coisa, seja a atividade coletiva ou solitária, e não a facilidade ou a dificuldade em se relacionar.

Alguém é 100% Extrovertido ou Introvertido? Todos temos as duas polaridades, porém desenvolvemos mais um aspecto em detrimento do outro. Isso se dá especialmente porque os traços de Extroversão e Introversão são geneticamente constituídos, predominando um ou outro. Contudo, ao longo do desenvolvimento, a personalidade sofre influências do meio que podem favorecer mais ou menos a expressão de um desses traços. Da mesma forma, uma característica não é melhor que a outra, são diferentes! Mas o problema da diferença torna-se às vezes insuportável por conta de parâmetros culturais.

Em um país como o Brasil, que privilegia a interação social, que tem como lazer atividades essencialmente coletivas como o Futebol, a roda de pagode, a conversa na mesa de bar, etc., a pessoa Introvertida terá um gasto de energia psíquica muito maior do que a Extrovertida. Porque essa pessoa terá que lutar, muito, contra sua tendência ao isolamento, aprendendo a despender grande parte de sua energia em interação social, ao mesmo tempo em que precisará de mais tempo sozinho para repor a energia gasta.

Numa cultura predominantemente Extrovertida, como a nossa, pessoas Introvertidas correm o risco de tentar ‘mascarar’ suas verdadeiras preferências, e com isso minimizar suas potencialidades e talentos tentando adaptá-los a um modelo comportamental socialmente mais valorizado. O contrário também pode ocorrer, é claro!

Quem leva vantagem? Devemos sempre ter em mente que as diferenças individuais são altamente produtivas do ponto de vista da organização social, e cada uma delas possui suas vantagens e desvantagens. Respeitar as suas próprias características e as dos outros é, com certeza, meio caminho andado para que a diferença entre os indivíduos seja experienciada de forma construtiva e não como empecilho para a convivência em grupo.

Imagem: “Igual” por Mustafa Celikel em http://1x.com

About these ads

5 comentários sobre “Diferenças Individuais

  1. caramba…gostei muinto do texto,sou extremanente introvertido e todos me vêem como “metido” eles simplesmente não aceitam q eu sou mais de “ficar na minha”

  2. Olá Vitor, a confusão entre introversão e “metidez” ou timidez é muito comum. Infelizmente, a maioria das pessoas não conhecem as sutilezas que distinguem esses vários conceitos. Seja como for, fico feliz que você tenha se “encontrado” no texto…:-) Seja sempre bem-vindo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s