A Felicidade: Linguagem e Cultura

frases_8

Tim Lomas, Professor de Psicologia Positiva Aplicada na University of East London, desenvolve um projeto muito interessante sobre Lexicografia Positiva. O projeto consiste em um glossário online de expressões que descrevem sentimentos, experiências, características de personalidade, etc., relativos à experiência de felicidade e que não possuem tradução para a língua inglesa.  A primeira edição do glossário, publicada no início de janeiro, conta com duzentas e dezesseis expressões de quarenta e nove línguas, que foram selecionadas com a ajuda de pesquisadores, amigos e estudantes de Lomas via Internet.

Lomas, por meio de um extenso trabalho de pesquisa definiu cada palavra selecionada e criou três categorias abrangentes que possibilitassem capturar as nuances culturais de cada expressão. A primeira categoria de palavras se refere a sentimentos. É o caso, por exemplo, da palavra “Heimat”, do alemão, que expressa um “carinho profundamente enraizado para um lugar ao qual se tem um forte sentimento de pertença”. A segunda categoria se refere a relacionamentos, como a expressão “Mamihlapinatapei”, da língua Yagán dos nativos da Terra do Fogo, que significa “um olhar entre pessoas que expressam um desejo não tácito, mas mútuo”. Ou “Queering”, do holandês, que é “permitir a um amante acesso a sua cama para conversar”). A terceira categoria de palavras descreve aspectos do caráter. “Sisu”, do finlandês, cai nesta categoria e é uma expressão que se refere a uma atitude entre a determinação e a bravura que dispõe a pessoa a agir mesmo quando a recompensa parece fora de alcance. Nessa categoria também se encontram expressões como a chinesa “Fēng yùn”,  que significa “charme pessoal e graciosidade” e “Ilunga”, da língua banto, que é “estar pronto para perdoar uma primeira vez, tolerar uma segunda vez, mas nunca uma terceira vez”.

Desde o seu lançamento o glossário cresceu para quase 400 entradas de sessenta e duas línguas, e os visitantes do site propuseram novas entradas e definições refinadas. A despeito do debate existente na linguística sobre o que modela o que – se a língua os nossos pensamentos e percepções ou o contrário – para quem gosta de pensar sobre diferenças culturais e sobre linguagem, o glossário oferece um melhor entendimento dos valores e perspectivas sobre o que pode ser a felicidade para cada povo. Por exemplo, várias expressões de línguas do Norte da Europa têm termos que descrevem uma espécie de aconchego existencial, seja físico ou emocional. Em contraste, mais culturas do Sul da Europa têm algumas palavras sobre estar fora e passear e saborear a atmosfera.

Para os psicólogos que, como eu, se interessam pelo estudo comparativo entre culturas, o glossário de Tim Lomas é uma oportunidade fascinante para se pensar que valores, percepções, experiências, etc., configuram a forma como diferentes povos entendem a felicidade. Eu adorei!

P.S.: Por exemplo, a palavra “Utepils”, que é norueguesa, é pouco capaz de expressar felicidade para mim, uma vez que não aprecio cerveja… Mas, com certeza, apreciaria um dia de sol se vivesse na Noruega!

Acesse o Projeto Lexicografia Positiva, de Tim Lomas, clicando aqui: https://www.drtimlomas.com/alphabetical-lexicography

Anúncios