Momentos Felizes

A primeira vez que você foi chamada de mãe, pai, avó(ô), tia(o).
O tão esperado primeiro beijo da pessoa amada.
Aquela mágoa antiga que se desfaz.
O banho reconfortante depois de um longo dia de trabalho.
A sua própria cama, na sua casa, depois de muito tempo dormindo em hotel.
A conclusão daquele curso após anos de dedicação e esforço pessoal.
O olhar de cumplicidade de um amigo numa situação difícil.
A mãozinha de um bebê segurando apertado o seu dedo.
Seu cachorro correndo para te receber.
A comida saborosa e quente num momento de fome e frio.
As férias na praia registradas numa foto iluminada pelo seu sorriso.
A sensação de permanência afetiva que descobrimos ter por alguém que amamos e há muito morreu.
A visão daquele pôr do sol que você nunca esqueceu.
O descontrole libertador de um orgasmo a dois.
A certeza de ter tido um trabalho devidamente reconhecido.
Um elogio feito a uma mudança que você inseguramente se aventurou a fazer.
Ouvir alguém que realmente importa dizer “Eu te amo”.
Ser aquecido por um abraço apertado num inverno de montanha.
Dançar até o salão a sua volta começar a girar.
Por alguma razão desconhecida, perder a vergonha e fazer algo que você nunca tivera a coragem de fazer antes.
Vencer um medo.
Falar “Eu te amo” com o coração palpitando e ser correspondido.
Olhar para alguma coisa, um objeto ou um lugar, e sentir a presença de algo que você seguramente chama de divino.
Ter um sonho maravilhoso e acordar com aquela sensação de que tudo vale a pena.
Ver os pratos e a panela “limpa” sobre a mesa depois de servir algo que você mesmo cozinhou.
Tirar um sapato que aperta e esticar os pés no chão.
O calor do sol numa manhã morna de primavera.
Uma fruta fresca e saborosa e doce comida com vontade.
Vestir uma roupa que cai como uma luva.
Ter saúde ou voltar a tê-la.
Saber que há alguém com quem você pode contar.
Ser essa pessoa para alguém…

…Se você viveu qualquer uma dessas experiências – e eu aposto que qualquer um de nós já usufruiu de algumas delas – então você sabe o que é felicidade. Talvez você ainda continue acreditando que felicidade é um carro melhor do que o que você tem, uma casa maior, um corpo mais jovem ou mais magro, um cabelo mais liso ou mais brilhante, uma vida sem problemas, um salário mais gordo ou um parceiro tão apaixonado como Dom Juan de Marco. Isso é um desperdício, sabia?

Pense sobre isso, e acrescente à minha lista a sua própria relação de momentos felizes.

Imagem: “Podemos ir para casa, Chefe?” por Acrux, em 1x.com

7 comentários sobre “Momentos Felizes

  1. Gostei dos exemplos que vc citou e me flagrei sendo remetido a varias lembrancas…todas muito felizes…
    O problema é conciliar a realidade pesada, aquela que todo dia 5 faz chegar o boleto do aluguel, faz proximo do fim do mes faz vc recorrer ao cheque especial por que o “salario nao alcancou”, etc…
    O ponto crucial nisso tudo (eu acho), é que felicidade, ;e medida em momentos, a realidade (a dura de encarar), é medida em tempo…
    Nossa, ja estou me perdendo nos meus proprios pensamentos….enfim…valew pela descricao dos momentos…
    abs

  2. Hauhauahuahauh!
    Achei os novos textos legais, só li por cima o outro, mas me parece interessante! Acredito que esses momentos citados quando pensados se adicionam a felicidade, mas é complicado acha-los muitas vezes. E ainda não divulguei o blog pois, estou numa correria e ainda não coloquei as coisas básicas que queria nele, rsrrsrr! Mas que bom que achou legal! Fico contente!

  3. Olá Léo,

    sua “viagem” faz todo o sentido…Rs! É mais ou menos isso mesmo! A Felicidade é experienciada em doses homeopáticas, mas a infelicidade também! Acontece que entre as duas existe uma série de demandas ordinárias/cotidianas que nos enfadam.

    A grande sacada para vivermos mais felizes, é aprendermos a encontrar interesse na rotina, afinal ela é a maior parte da vida de qualquer pessoa. Às vezes transformamos as tarefas e os entraves cotidianos numa epopéia quando, na melhor da shipóteses, é só uma charge…Rs! Não focar naquilo que é negativo, mas aprender a enxergar o que é gratificante em tudo o que fazemos na vida…Me parece ser este o segredo da felicidade!

  4. Olá Felipe,

    auto-observação, esse é o trunfo de uma mente consciente para superar a mesmice da vida. Aprender a ver, a ver mesmo, fora das lentes pré-definidas do que é o bom, o belo, o certo…Possível caminho para a felicidade.

  5. Olá Felipe,
    a questão é essa, é preciso parar para ver! Na maioria das vezes, fazemos as coisas no automático, sem prestar atenção no efeito que elas nos provocam. Quando aprendemos a parar, começamos a entender o quanto cada acontecimento é importante e a reconhecer o valor das emoções vividas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s