Investindo na Felicidade a Dois:Utilizar habilidades comunicativas para resolver os problemas

Há uma estratégia comunicativa muito eficiente e pouco utilizada pelos casais: falar e ouvir! A maioria dos casais quando se envolve numa discussão tende a buscar uma solução o mais rápido possível para se livrar do problema. É claro que isso não resolve o problema! Existem muitas formas de tentar escapar de um problema: ceder para não brigar; não tocar no assunto; minimizar os danos gerados pelo problema; transferir a responsabilidade para o outro ao invés de assumir que um problema, numa relação a dois, sempre será responsabilidade do casal, etc. A questão é que não é possível resolver um problema, seja qual for, enquanto as duas partes envolvidas não tiverem a chance de dizer tudo o que precisam dizer sobre o que incomoda em relação àquele tópico específico. Uma solução de consenso só é possível de ser atingida quando os parceiros sentem que foram totalmente ouvidos um pelo outro.

A grande dificuldade da maioria de nós numa discussão é ouvir tudo o que o outro tem a dizer sem criticá-lo, atacá-lo, rebatê-lo, interrompê-lo, etc. Mas, quem quiser se comunicar apropriadamente, precisa aprender a fazer isso. Algumas atitudes podem ajudar a melhorar a comunicação entre um casal, são elas:

Coloque a sua queixa de maneira suave, sem ataques, sem culpabilizações. Lembre-se: um problema no casamento é sempre do casal, e não de um apenas. Então não há porque iniciar uma discussão atacando o outro, como se ele fosse o único responsável pelo problema. Um problema é causado por duas razões:

  1. pelo que é feito,
  2. e por como nos sentimos em relação ao que é feito. O que para uma pessoa pode ser um problema, para outra pode não ser. Então se algo incomoda o casal é porque alguém está fazendo alguma coisa, e alguém está se sentindo incomodado com aquilo. Não é o outro que me incomoda, mas eu que me sinto incomodado(a) com o que o outro faz!

Quando iniciamos uma conversa responsabilizando o outro pelo que nos incomoda, desencadeamos uma atitude defensiva da outra parte, aí não tem conversa. A discussão vira apenas um jogo de ataque-defesa. Pelo que as pesquisas sobre felicidade indicam, os casais felizes sabem evitar isso colocando o problema a partir da perspectiva afetiva individual, ou seja: ao invés de dizer, por exemplo_“você nunca me ouve”; pode-se dizer_“eu sinto que nem sempre consigo me fazer entender como gostaria”. Ao invés de dizer_“você não me ajuda em nada”; pode-se dizer _“tenho me sentido muito sobrecarregado(a), e gostaria que você me ajudasse a resolver esse problema”. E por aí vai…

Aprenda a fazer reparações, elas são importantes para evitar que uma discussão saia do controle. Mas, afinal, o que são reparações? As reparações são intervenções positivas feitas pelas partes durante uma conversa. As pesquisas sobre felicidade conjugal mostram que os casais satisfeitos com seus casamentos sabem como reparar as situações difíceis. Tentativas bem sucedidas de reparação incluem:

  1. mudar o tópico da conversa, direcionando-a para algo positivo como, por exemplo, numa discussão sobre problemas que o filho enfrenta na escola, dizer para aquele que trouxe o problema à tona_“eu aprecio muito o seu interesse pela vida escolar do nosso filho”. Não se foge do tópico da conversa, mas enfoca-se o aspecto positivo da situação.
  2. usar o humor. Casais bem-humorados que, além de buscar diversão juntos, também, sabem rir dos problemas e deles próprios, conseguem obter mais satisfação com o casamento e têm mais chances de conseguir gerenciar as dificuldades sem “fazer tempestade em copo d’água”.
  3. reconhecer e respeitar as limitações e o sofrimento um do outro, sem fazer pouco caso daquilo que é importante para o(a) parceiro(a). Isso pode ser feito com um simples_“eu compreendo o quanto isso é difícil para você” no meio de uma fala/intervenção.
  4. colocar os problemas como sendo do casal. Ao invés de dizer  _ “você tem gastado demais, estamos novamente no vermelho por sua causa”; pode-se dizer_“estamos com dificuldade para controlar nossos gastos. Precisamos trabalhar juntos para resolver isso e eu conto com a sua ajuda”.
  5. pedir desculpas, agradecer, elogiar, ceder, etc., são formas simples de fazer reparações que devem ser utilizadas sempre que necessário. Contudo, é importante lembrar que: se alguém está pedindo muitas desculpas a(o) parceira(o), isso pode significar que a desculpa virou uma muleta, uma forma cômoda de aliviar a própria culpa. Ou seja, ao invés de tentar corrigir os próprios erros, a pessoa prefere continuar a cometê-los, usando a disposição para se desculpar como álibi para o pouco empenho dado à própria mudança de comportamento.
  6. Por fim, uma reparação muito eficaz para evitar uma briga da qual podemos nos arrepender mais tarde é “dar um tempo”. Se o tópico da conversa é muito desgastante e os ânimos começam a sair do controle, levando a discussão para o território dos insultos e da agressão mútua, a melhor reparação a ser feita é interromper a conversa e retomá-la em outro momento quando a(s) cabeça(s) estiver(em) mais “fria(s)”.

Imagem: “Ponte” por Doug Roane, em 1x.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s